PSICOPEDAGOGA CLÍNICA E INSTITUCIONAL
PEDAGOGA / HOSPITALAR

30 anos de experiência em Vida Escolar | Membro da Associação Brasileira de Psicopedagogia - ABPp

Follow me on instagram

Copyrights 2017 © Todos os Diretos Reservados a Denise Aragão

 

BONECA ABAYOMI- ENCONTRO PRECIOSO

A boneca símbolo da resistência negra

BONECA ABAYOMI- ENCONTRO PRECIOSO

ABAYOMI significa em Yorubá,  “encontro precioso” ou “aquela que traz alegria”.

As bonecas ABAYOMI não possuem feições determinadas, no intuito de favorecer as inúmeras características físicas apresentadas pelas múltiplas etnias africanas.

Existem algumas histórias a respeito dessa boneca.

                                                                                                   Essas eu fiz na oficina da Lucia Makena.

Retalhos para confeccionar a ABAYOMI

Uma das histórias conhecidas, diz que as bonecas ABAYOMI eram confeccionadas por mulheres capturadas no período da escravidão e levadas em navios tumbeiros, embarcação de pequeno porte, que realizavam o trajeto África-Brasil. Também conhecidos como navio negreiro.

                                                                               A única foto que se tem notícia de um navio negreiro brasileiro, tirada por Marc Ferrez

Como muitas crianças também seguiam juntas nessa triste viagem, as mulheres, independentes de serem mães, arrancavam pedaços de tecidos de suas roupas e confeccionavam pequenas bonequinhas sem nenhum tipo de costura.

Tranças e nós caracterizam as partes do corpo, assim como suas vestimentas e adereços constituem-se de pura amarração.

As bonecas tinham por objetivo proteger e acalentar os pequenos em tão triste viagem.

Oficina de ABAYOMI com Lucia Makena

Outra versão muito interessante da história da boneca ABAYOMI, você pode encontrar nesse link do youtube, contada por Lucia Makena, uma amiga querida de longa data, pedagoga e bonequeira negra de profissão.

Dia 29 de agosto me organizei para participar de sua oficina no SESC 24 de maio.

Lucia é uma mulher guerreira, especialista em luta e resistência negra.

                                                                                                                        SESC 24 de maio, na oficina da Lucia Makena.

Logo de início, deixou claro a sua intenção na oficina: “Aprenda e espalhe essa oficina por onde for. Lembre a todos da força feminina dessas mulheres e crianças, da resistência do povo negro cruelmente tolhido de sua cultura, de sua liberdade, de seu direito de viver.”

E continuou: “O preconceito no Brasil existe é velado. Basta ver as estatísticas de assassinatos dos nossos jovens. As vítimas ainda são em sua maioria negros.”

Legado familiar

Seguindo seus passos na luta e resistência feminina, na valorização da cultura africana e afro-brasileira, Lucia Makena traz consigo suas filhas Potira Caruana, Kamilah Pimentel e sua neta, a artista MC Soffia.

Se quiser aprender a fazer uma ABAYOMI, basta mandar um e-mail pra mim. Envio um tutorial de fotos  para você.

Espalhe essa ideia.

Se gostou do post compartilhe.

Compartilhe
Psicopedagoga, pedagoga, educadora, mãe de menino e menina.
Nenhum Comentário

Deixe um comentário