PSICOPEDAGOGA CLÍNICA E INSTITUCIONAL
PEDAGOGA / HOSPITALAR

30 anos de experiência em Vida Escolar | Membro da Associação Brasileira de Psicopedagogia - ABPp

Follow me on instagram

Copyrights 2017 © Todos os Diretos Reservados a Denise Aragão

 

PIAGET-DESENVOLVIMENTO COGNITIVO

Como tem origem e como evolui o conhecimento?

PIAGET-DESENVOLVIMENTO COGNITIVO

A  teoria da Epistemologia Genética foi elaborada pelo teórico suíço Jean Piaget ( 1896-1980),  que partiu de sua sólida formação em Biologia, investindo mais de 50 anos em pesquisas no desenvolvimento de seu sistema cognitivista.

Em seu grandioso trabalho, Piaget elencou as etapas do desenvolvimento infantil, contribuindo muito à Psicologia e à Educação.

De acordo com Iris Barbosa Goulart, o sistema piagetiano tem recebido inúmeras designações: epistemológico genético, estruturalista, interacionalista, construtivista dialético, cognitivista.

Como tem origem e como evolui o conhecimento?

A grande questão para Piaget era “como tem origem e como evolui o conhecimento” .

Seu objeto de estudo era o sujeito epistêmico, ou seja, o sujeito do conhecimento.

Os erros cometidos pelas crianças eram o foco de sua observação. A partir deles, constatou estruturas mentais características de determinadas faixas etárias, e assim, classificou estágios de desenvolvimento.

Nos processos de assimilação e acomodação, e na equilibração desses dois processos, acontece a adaptação do conhecimento, que é quando de fato ocorre a aprendizagem mediante sua interiorização.

 

Etapas, estágios ou estádios do desenvolvimento psíquico

De modo resumido, as características de desenvolvimento da inteligência são apresentadas nas seguintes etapas:

Sensório-motor: 0 a aproximadamente 2 anos – Do nascimento até ao aparecimento da linguagem.

Nesse momento o desenvolvimento das crianças  está ligado apenas ao corpo. Inicia-se com exercício reflexo, atividades instintivas como reflexo de sugar,  de preensão, movimentos circulares primários e secundários,  que são os de repetição.

Passam a utilizar coordenação da visão e a preensão, diferenciam esquemas de ação para fazer uma coisa e outra, aumentando seu repertório de ação, solucionando alguns problemas.   Ainda não dispõe da função simbólica.

Pré-operatório: 2 a 6/7 anos –

Também conhecido como período objetivo-simbólico, esse é o período em que a criança se volta para a realidade exterior tentando descobri-la. Além disso adquire uma representação mental, especialmente da linguagem.

Seu interesse passa do subjetivo para o objetivo, ou seja, interessa-se pelo que está ao seu redor, de algo que lhe simboliza, que  é representativo.

Necessita manipular material concreto na aprendizagem e de brincar de faz de conta.

São características dessa etapa a socialização da ação, o egocentrismo, o pensamento propriamente dito com destaque no intuitivo, a afetividade nas manifestações demonstrando antipatias, simpatias e valores.

Operatório-concreto: 7 a 11/12 anos-

Durante essa etapa a criança já é capaz de conservar informações, seu egocentrismo diminui e ela opera mentalmente. Pensa, relaciona ações, pessoas e acontecimentos, sobre quem convive com ela.

É possível identificar operações lógico-matemáticas em suas ações já cooperativas: seriação, conservação, classificação,  probabilidade, proporcionalidade, conceito de número, forma, tempo,  entre outras.

Operatório- abstrato ou lógico- formal: 11-12 a 14-15 anos –

Apresenta como característica essencial a distinção entre o real e o possível. Diante de uma problemática, o adolescente é capaz de prever, experimentar e analisar para validar se é real e possível, pois tem a capacidade e potencial de imaginação do que poderia estar ali mas não está.

Sua inteligência vai além do que ele apenas visualiza, pois já é capaz de abstrair amplamente a realidade vivida.

 

Esse conteúdo te ajudou? Se ajudou, dê um like no coraçãozinho e compartilhe.

 

 

 

 

 

Compartilhe
Psicopedagoga, pedagoga, educadora, mãe de menino e menina.
Nenhum Comentário

Deixe um comentário